Minha experiência em Hostels

El Misti Yellow Buzios

A Dani me inspirou para escrever esse post… resolvi dividir um pouco da minha experiência em hostel. Eu sei que para muitas pessoas ficar hospedado em albergue é algo impensável, para mim também já foi estranho, hoje em dia eu levo numa boa, é mais uma opção para economizar em minhas viagens $$ ;) mas não apenas isso.

Se a sua intenção ao viajar é conhecer novas pessoas essa é uma ótima opção, na minha viagem a Ouro Preto me proporcionou conhecer meninas super divertidas.

Eu tive 3 oportunidades de ficar em hostel e cada uma foi diferente da outra.

Recepção hostel

Imagem: Pixabay

A 1ª vez foi no carnaval há uns 3 anos atrás, inclusive com minha companheira Dani, em Búzios. Ficamos no El Misti Yellow Hostel, os donos eram argentinos, acho que éramos os únicos brasileiros por lá! Ficamos em quarto misto, com 13 camas… Lógico que nessas condições existem algumas coisinhas chatas, por exemplos pessoas chegando e fazendo barulho no meio da madrugada e também dividir banheiro com tanta gente. Nesse ponto entram os meus critérios para escolher hospedagem, a higiene, eles tinham o cuidado de limpar o quarto e banheiro todos os dias, às vezes isso não ocorre nem em hotéis… então muitas vezes o lugar é simples mas é super limpo e é nesse que eu fico.

Yellow Misti Buzios

Minha 2ª vez em hostel foi em Foz do Iguaçu e só tenho elogios a fazer ao Iguassu Falls Hostel. Dessa vez fiquei em um quarto duplo com uma amiga, então só dividimos o banheiro com outros hóspedes, que era mais limpo que o da minha casa! Brincadeiras à parte, o hostel é ótimo, os donos são super atenciosos e educados, cuidadosos e nos deram várias dicas, sem falar que até nos levaram para atravessar a ponte da Amizade! Indico para qualquer um! Um lugar simples, mas um dos melhores que fiquei, pelo custo, localização, acomodações e atendimento.

A última vez foi em Ouro Preto no Viva Chico Rei, mais uma vez tenho apenas elogios! Tive uns probleminhas na minha ida e a dona do hostel, a Carina (minha xará) foi super bacana comigo, alterou minha reserva sem nenhum problema ou custo, sem falar nas dicas que ela me deu para aproveitar bem minha passagem por Ouro Preto. Como viajei sozinha dessa vez e eu estava interessada em interagir com pessoas novas o albergue foi a melhor escolha. Fiquei com mais 5 meninas no mesmo quarto, baianas, cariocas e uma holandesa, então foi muito legal esse contato com pessoas de diferentes lugares. Para os meus critérios, o quarto era confortável e também bem limpo.

Viajante

Imagem: Pixabay

Acho que deu para notar que meu principal critério nas escolhas de hospedagem, sejam elas hotéis, pousadas ou albergues, é a limpeza do local. Lógico que avalio outras coisas, como valor e localização, mas se o lugar não é limpo, já era!

É claro que quando ficamos em albergue pensamos em itens como a segurança de nossas coisas, mas é só levar um cadeado, se tiver armário tranque se não tranque a mala, e os pertences mais valiosos leve sempre com você. Esses cuidados eu tenho sempre, não importa se estou em um hotel ou se estou em hostel.

A internet nos ajuda muito na hora de escolher os destinos e onde vamos ficar, independente do estilo de cada um, é muito mais fácil encontrar a opção que mais se adapta ao viajante e eu não podia deixar de falar um pouco sobre isso também… Acho que no Brasil os hostels estão cada vez melhores, e é tempo de deixar as inseguranças e preconceitos de lado e tentar coisas novas, até mesmo quando temos experiências negativas, nos rende bagagem para errar menos nas próximas vezes, eu já aprendi bastante a ainda tenho muita coisa para ver nesse mundo.

Até a próxima ;)

Carina

Facebook | Insta Blog | Insta Carina | Comente!

O que achou do post?

Minhas férias em Ouro Preto (1ª parte)

Para as férias desse ano, Dani e eu, tínhamos planejando ir à Chapada dos Veadeiros, mas como tivemos alguns contratempos, não foi possível, nesse momento, mas em breve darei um jeito de ir.

A Dani, já sabemos, foi para Campos do Jordão (acho chique) e eu fiquei durante algumas semanas pensando: Para onde ir sem planejamento? Deve-se considerar os valores de passagens aéreas, então pensei: vou para algum lugar para onde eu possa ir de ônibus sem que eu precise passar dias dentro dele, então em um dos meu momentos de “iluminação”, resolvi, vou para Minas!

Minha primeira opção foi Diamantina, mas rolou algumas dificuldades na logística, então comecei a pensar nas cidades históricas ( por que será? ;)) e resolvi, Ouro Preto foi minha escolha e foi uma bela escolha!

Escolhido o destino, chegou a hora de decidir onde ficar, quantos dias ficar e quando ir. Não queria ficar menos de 5 dias, e foi o suficiente incluindo o tempo de viagem. Minha opção de estadia era o mais barato dentro dos meus critérios e levando em conta que seria uma viagem solo ( minha 1ª), a melhor opção para conhecer pessoas novas seria ficar em um hostel, e foi o que fiz.  Fiquei no Viva Chico Rei e fui super bem recebida, escolhi bem.

Depois de acertado a data e onde eu ia ficar, comecei a montar o meu roteiro, que por acaso não segui. Afinal, eu estava indo livre de compromissos. Fiz uma lista com alguns lugares que eu realmente queria ir e o resto ia resolvendo na hora.

Então chegou o dia, mas se não tiver uma dificuldade não tem graça. A minha primeira tentativa de ida à Minas foi mal sucedida. Isso porque eu programei o despertador para o dia errado, moral da história, acordei 5h30 e meu ônibus com horário de saída às 7h20 da rodoviária. Levando em consideração que levo mais de uma hora para chegar à Rodoviária eu estava bem atrasada.

Desde a hora que acordei naquele dia tudo deu errado. Tudo mesmo! Vou fazer um resumo. Acordei no susto, me vesti igual a uma louca, resolvi pegar um moto táxi para chegar rápido na estação do BRT, quando cheguei no ponto… o último estava saindo, então resolvi ir andando (ou correndo) na esperança que passasse alguma van, quando ela veio estava lotada e eu ainda levei um tombo quando fiz sinal ( não sei como consegui fazer isso).

Levei uns 15 minutos para chegar na estação e quando estava próximo, vi que um parador tinha acabado de sair, ou seja, tive que ficar alguns minutos esperando o próximo, lá pelas 6h30 cheguei na alvorada e fui atrás de outro ônibus que me levasse para a rodoviária, que só sairia 15 minutos depois. Para encurtar  o relato, quando cheguei na rodoviária, obviamente o ônibus no qual eu deveria estar, já estava bem longe…

Mas ainda tentei ir no mesmo, mas resolvi voltar para casa, afinal, tudo tinha dado errado até aquele momento. Eu não sou uma pessoa supersticiosa, mas achei melhor ouvir o recado e entender que não seria naquele dia. Voltei para casa, remarquei a reserva e depois revalidei as passagens para o outro fim de  semana, e foi o melhor, deu tudo certo.

E lá fui, cheguei em Ouro Preto pela manhã da sexta-feira dia 24/07, o dia estava bem cinzento…

Me localizei e fui  atrás do hostel, e já pelo caminho fui me apaixonando pela cidade, ainda meio dormindo devido a hora, as ruas vazias, os paralelepípedos, a praça Tiradentes…

Cheguei ao hostel e  me instalei, peguei algumas dicas e fui para rua.  O primeiro destino foi a estação de trem de Ouro Preto.

Queria ir a cidade de Mariana na Maria fumaça, mas devido à procura, já havia esgotado para as 10h, o que fiz? Comprei a volta, não importa se é  ida ou  volta o passeio é o mesmo e vale a pena… Com a  passagem comprada fui atrás de um ônibus que me levasse a Mina da Passagem que fica próximo a cidade de Mariana.

São várias as minas naquela região e fiquei bem interessada, na Mina da Passagem entramos cerca de 120m terra adentro em um carrinho meio capenga, mas é bem legal!

Lá percorremos algumas galerias com o acompanhamento de um guia que conta um pouco sobre a história da mina e nos mostra algumas particularidades.

Na saída da propriedade me encaminhei para a cidade de Mariana, onde eu pegaria o trem de volta a Ouro Preto, minha intenção era dar uma volta pela cidade, mas pra variar eu estava meio atrasada, então me encaminhei para a estação, que é super charmosa e peguei o trem que saiu pontualmente as 13h.

O passeio de trem é daqueles passeios que não pode ficar de fora do roteiro… dura cerca de 1h e você passa por paisagens belíssimas, tem até cachoeira, é tudo meio zen… só curtir a paisagem…

Valor da passagem de trem: R$ 20,00

Entrada da Mina da Passagem: R$ 39,99

Vou contar mais sobre minha viagem no próximo post, esse já está muito longo. Eu falo demais!!! Ops! Nesse caso, escrevo demais…

 Carina

Facebook | Instagram | Comente!

1 pessoa gostou do post.