Como se virar na Chapada dos Veadeiros | Goiás

   No carnaval desse ano, fui matar uma vontade muito grande que eu tinha, conhecer a Chapada dos Veadeiros, sabia que não ia ter muito tempo, mas tentaria aproveitar o máximo que eu podia, e foi ótimo, não conheci nem metade do que há para ver naquele lugar incrível, mas o que pude ver já valeu super a pena.

Chapada dos Veadeiros - Goiás

Mas vou começar falando sobre o que é essencial saber, pois eu notei que falta muita informação sobre a Chapada dos Veadeiros, vamos às principais:

  • Comunicação

 Não há sinal de internet, você vai ter sinal de telefone em Alto Paraíso, Cavalcante e São Jorge, mas apenas de telefone, internet mesmo não tem!

Então, a menos que você se hospede em algum lugar que forneça internet wifi, você ficará todo o tempo sem se conectar, já vá com isso em mente.

Não esqueça, Chapada dos Veadeiros é um lugar para se desconectar do mundo tecnológico.

  • Localização

Outra dica é, leve um mapa! Por conta da falta de sinal de internet você não vai conseguir usar o GPS do celular, por exemplo, então o bom e velho mapa quebra um “galhão” nessa hora.

A minha experiência com o GPS do carro não foi boa, me perdi bastante no primeiro e segundo dia. Por via das dúvidas, ainda indico levar um mapa.

A sinalização na entrada para Alto Paraíso é meio escassa, não difícil chegar, mas mesmo assim poderia ser melhor sinalizada.

Demora bastante até que alguma placa de Alto Paraíso apareça na BR 010!

  • Estrutura Turística

Uma informação muito importante sobre a região da Chapada é que em termos de estrutura turística ainda é bem atrasada, não tem infraestrutura, em Alto Paraíso, por exemplo, não vi muita opção de restaurante para almoçar. O que eu mais vi por lá foram restaurantes de massa (pizza).

Para noite, se houver interesse apenas em um  happy hour ou pizzaria, até encontra, mas se você quer um ambiente diferente e opções variadas, pode ficar bem decepcionado. Pelo menos eu fiquei.

Com relação a opções de restaurantes eu gostei mais de São Jorge, mas é questão de gosto.

O Serviço de informação ao turista também não fornece muitas informações, um exemplo disso foi a ausência de guia para fazer a trilha da Santa Barbara em São Jorge e Cavalcante, só conseguimos na entrada no sítio mesmo.

Das atrações que fiz, a única que realmente estava com as trilhas bem marcadas e cuidadas foram do Parque, as demais eram bem complicadas, a trilha do mirante da Janela é uma delas, mal sinalizada, se você distrair já erra o caminho, por isso muita atenção. Então, não espere muito da estrutura turística. Ao final das trilhas, constatamos que sempre vale a pena os possíveis perrengues.

  • Locomoção na Chapada

Outra informação importante é alugar um carro, de preferência auto, em Brasília. A maioria das atrações é bem distante, então o carro vai facilitar muito a vida e vai ajudar a aproveitar mais o tempo disponível.

As trilhas para as atrações são em sua maioria longas e dependendo do local que você estiver hospedado, ainda vai precisar se deslocar um bom pedaço até o inicio das trilhas.

Não vi nenhum esquema de “carona”, com exceção dos carros que fazem o transporte até o começo da trilha para a cachoeira Santa Bárbara, que custava 5 Reais.

As estradas são na maior parte do tempo, boas, mas existem alguns trechos mais complicados, estradas de terra, por exemplo, para chegar ao Sítio Kalunga, que são bons trechos de estrada ruim… Dica de ouro, carro auto e motorista experiente.

Espero que essas dicas sejam úteis para aqueles que desejam conhecer esse lugar incrível que é a Chapada dos Veadeiros!

                Carina

Facebook | Insta Blog | Insta Carina | YouTube | Comente!

O que achou do post?